sábado, 22 de julho de 2017

EBD BETEL - Comentários Adicionais - O perfil dos enviados de Cristo - 23/07/2017

Comentários Adicionais
O perfil dos enviados de Cristo
23 de julho de 2017

Textos de Referência - Atos 20.17-21

INTRODUÇÃO
O apóstolo Paulo ficou três anos em Éfeso e nesta cidade o ministério do apóstolo Paulo foi extremamente impactante com extraordinários resultados, em outras palavras, a Igreja se Éfeso se tronou uma das Igrejas mais importantes do novo testamento, sobrepondo Antioquia e Jerusalém. Éfeso era uma cidade com mais de 200 mil habitantes, uma cidade grande para época, sediava o templo da deusa Diana, a idolatria e feitiçaria imperava naquela cidade. E neste três anos que Paulo fica em Éfeso, a cidade sofre uma grande transformação.

Vamos entender mais detalhadamente como era Éfeso?

Significado de Éfeso: Desejável. é bem provável que o nome grego da cidade significasse exatamente isso: desejável.

Mapa - Éfeso na atualidade
 


População: Metrópole cheia de gente: Calcula-se que Éfeso, antigamente, tinha pelo menos 225.000 habitantes. 

Economia: A cidade era importante, tanto do ponto de vista comercial, como do religioso. Havia abastança, embora nem todos os habitantes fossem prósperos. A situação de Éfeso contribuía para a sua importância. Situada perto da desembocadura do rio Caister, na costa ocidental da Ásia Menor, quase que se defrontava com a ilha de Samos. 


Porto: Éfeso tinha um porto artificial, mantido aberto por meio de dragagem. Não obstante, no apogeu da cidade, podiam-se ver os maiores navios de alto-mar no seu porto. Além disso, Éfeso encontrava-se na principal estrada comercial entre Roma e o Leste. Por mar, estava ligada com Roma, e por vias terrestres, com a maior parte da Ásia. De modo que muitas mercadorias podiam ser compradas nas lojas e nos mercados da cidade.


Foto do Porto - Atualmente 
O Porto de Kusadasi, também conhecido como Porto de Éfeso está localizado no centro da cidade de Kusadasi , na Turquia. O município europeu contemporâneo de 50.000 pessoas é muito dependente do comércio turístico criado a partir dos navios cruzeiros. 



Fundação: A fundação de Éfeso está envolvida em lenda. Finalmente, porém, os gregos jônios estabeleceram-se ali. Os lídios tomaram a cidade em 560 antes da Era Comum, porém, apenas três anos depois, já era dominada pelos persas. Caiu sob o domínio macedônio, nos dias de Alexandre, o Grande. Anos mais tarde, Átalo III, rei de Pérgamo, legou Éfeso a Roma, junto com o restante do seu reino. Em 190 A. E. C., foi estabelecida a província romana da Ásia, tendo a Pérgamo por capital e a Éfeso, por fim, como cidade principal.

A ágora e a Biblioteca: ou praça do mercado, era um recinto retangular, colunário, no qual se entrava por pórticos. Estava cercado por câmaras e salões. Perto havia a biblioteca de Celso, que provavelmente remontava ao segundo século da Era Comum. Este edifício fora construído com colunas, bem como com uma parede externa e outra interna. As duas paredes protegiam os documentos em papiro, da biblioteca, contra os estragos da umidade.


Coração da Cidadehavia o estádio, reconstruído durante o reinado do Imperador romano Nero (54-68 E. C.). Era provavelmente o cenário de competições atléticas e talvez de combates gladiatórios.

Teatro: com cerca de 150 metros de diâmetro, o teatro possuía uma fachada decorada com pilares, nichos e belas estátuas. Os assentos de mármore estendiam-se em semicírculo do palco para cima, em sessenta e seis fileiras. Cerca de 25.000 pessoas podiam ser acomodadas ali. e as qualidades acústicas eram excelentes. Mesmo hoje, no estado arruinado do teatro, as palavras proferidas em voz baixa, no lugar do palco, podem ser ouvidas na última fileira do alto.
A deusa dos Efésios: O Templo de Ártemis ou Templo de Diana foi uma das sete maravilhas do Mundo Antigo, localizado em Éfeso. Era o maior templo do mundo antigo, e durante muito tempo o mais significativo feito da civilização grega e do helenismo, construído para a deusa grega Ártemis, da caça e dos animais selvagens. Foi construído no século VI a.C. no porto mais rico da Ásia Menor pelo arquiteto cretense Quersifrão e por seu filho, Metágenes.[1]
Era composto por 127 colunas de mármore, com 20 metros de altura cada uma. Duzentos anos mais tarde foi destruído por um grande incêndio, e reerguido por Alexandre, o Grande. Atualmente, após sucessivos terremotos e saques, apenas uma solitária coluna do templo reerguida por arqueólogos alemães no século XIX encontra-se de pé.

Ruínas do Templo de Artemis ou Diana

Introdução




1. O caráter de um enviado

O Pastor Hernandes Dias Lopes afirma que o resultado da causa de compaixão e misericórdia na cidade de Éfeso foi tão grande que trouxe mudanças impactantes como:

Idolatria é desarticulada
Livros de Feitiçaria foram queimados em praça pública
A palavra de Deus prevaleceu na cidade
As multidões foram impactadas com o evangelho
Cidades foram plantada na província como Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes Filadélfia, Laudicélia, Colossos, 
A Igreja de Éfeso se torna o centro de grande influência da Ásia Menor


QUAL O PERFIL DE PESSOA / OBREIRO / ENVIADO DE CRISTO poderia obter este resultado tão extraordinário? 

1. O caráter de um enviado

1.1. Servo
Por esta palavra se traduzem duas palavras hebraicas, que ocorrem freqüentemente no A.T., e que significam rapaz, pessoa de serviço, ou um escravo. A palavra é, algumas vezes, empregada a respeito de pessoas humildes (Gn 32.18,20), e também com relação a altos oficiais da corte (Gn 40.20 – 2 Sm 10.2,4). Uma terceira palavra implica aquele que está às ordens de alguém para o ajudar (Êx 33.11). Mas, pela maior parte das vezes, no A.T., trata-se de um escravo. De igual modo, no N.T., a palavra ‘servo’ aparece como tradução das indicadas palavras hebraicas, significando criada da casa (como em Lc 16.13), ou um rapaz (como em Mt 8.6), ou ainda um agente (como em Mt 26.58) – mas na maioria dos casos o termo refere-se a um escravo (Mt 8.9, etc.). Esta palavra aplicavam-na os apóstolos a si mesmos, como sendo os servos de Deus (At 4.29 – Tt 1.1 – Tg 1.1) e de Jesus Cristo (Rm 1.1 – Fp 1.1 – Jd 1). 

Atos 20-19 - Fiz o meu trabalho como servo do Senhor, com toda a humildade e com lágrimas. E isso apesar dos tempos difíceis que tive, por causa dos judeus que se juntavam contra mim.

Outra versão diz assim: Servindo ao Senhor com toda a humildade, e com muitas lágrimas e tentações, que pelas ciladas dos judeus me sobrevieram;

Servo - A quem estamos servindo? Ao Senhor, correto? 
Mas na prática como funciona? A quem realmente podemos está erroneamente servindo? A instituição, a liderança, a pessoas na igreja, interesses pessoais...

Servo de Deus - Serve ao Senhor

Características de um Servo
- Não busca glória para si mesmo
- Não tem medo de intimidações
- Não vende sua consciência
- Não busca interesses pessoais
- Servir a Deus com toda humildade e lágrimas
- Está literalmente a serviço de Deus com toda humildade e lágrimas, sujeito a ciladas

1.2. Santo
Atos 20. 18 - E, logo que chegaram junto dele, disse-lhes: Vós bem sabeis, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, como em todo esse tempo me portei no meio de vós,

- Compromisso de santidade consigo mesmo

- Ser Coerente, consistente e constante
- Não há vida secreta, Paulo andava na Luz
- Sem variação, vida constante na presença de Deus
- Cuidar de si mesmo, vida de oração e jejum, separação

Paulo está dizendo, cuidem de vocês mesmos, se vocês não cuidarem de vocês, não conseguirá cuidar de ninguém

1.3. Virtuoso

ANUNCIAR / ENSINAR
Atos 20.20 Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar, e ensinar publicamente e pelas casas,

Paulo pregava em qualquer lugar e a qualquer lugar, pregava nas praças e nas casas 


TESTIFICAR A TODOS
Atos 20.21 Testificando, tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus, e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo
Atos 20.24 Mas de nada faço questão, nem tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.
Paulo não tinha problemas em pregar para quem quer que fosse arrependimento e fé, elementos essenciais da conversão, ele pregava sobre a salvação e tinha conhecimento profundo do que falava, ele conhecia a palavra.

2. A motivação de um enviado


2.1. Obediência a visão
Atos 20.27 - Porque nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus.
Paulo não está no ministério por vontade própria, ele foi convocado,  ele exerce o ministério que recebeu de Jesus, ele não tinha dúvida e  obedecia a visão dada por Deus e não deixou de anunciar todo o conselho de Deus.

John Jowett no seu livro “O pregador, sua vida e sua obra” diz que vocação é quando todas as outras portas estão abertas, mas você só anseia entrar pela porta do ministério. São algemas invisíveis.

Deus chama pessoas diferentes, em circunstâncias diferentes, em idades diferentes para o ministério. Chamou Jeremias no ventre da mãe. Chamou Isaías num momento de crise nacional. Chamou Pedro depois de casado. Chamou Paulo quando este perseguia a igreja.

2.2. O amor pelos perdidos
Atos 20.24 - Mas de nada faço questão, nem tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.

ABNEGAR-SE
Sacrifício - Paulo sofre a favor dos perdidos, é apedrejado, rejeitado, preso e seu coração queimava em anunciar a graça da salvação 


PASTOREAR
Pastorear é gostar do cheiro de ovelha, a missão do pastor é apascentar. O pastor é alguém que convive com ovelha. Está perto. Leva para os pastos verdes as famintas, às águas tranquilas as sedentas, atravessa os vales escuros dando segurança à ovelha, que está insegura carrega a fraca no colo, resgata a que caiu no abismo, disciplina aquela que põe em risco a vida do rebanho.

2.3. Senso de urgência





Atos 20.25 - E agora, na verdade, sei que todos vós, por quem passei pregando o reino de Deus, não vereis mais o meu rosto.
Atos 20.26 - Portanto, no dia de hoje, vos protesto que estou limpo do sangue de todos.


O discurso de Paulo em Atos 20.25 acusa o clima de despedida, de separação definitiva: os Presbíteros de Éfeso não mais verão a face de Paulo, neste contexto, a declaração de Paulo sobre a realização plena da sua função em relação aos cristãos é repleta de gravidade e soa como severa admoestação aos presbíteros. O apóstolo recorre a uma frase bíblica para definir a responsabilidade: eu estou puro do sangue de todos. Ele dá o alarme, tem pressa, urgência e preocupação em todos os sentidos. 



3. Responsabilidades e recompensas


3.1. Um coração zeloso como de um pai
"Não construa cercas para proteger o rebanho, alimente o rebanho"

- Tem consciência de que Deus o chamou não para governar o povo com rigor, mas para cuidar do seu povo;
- Cuida da sua própria vida, antes de cuidar do povo de Deus. Ele prega a si mesmo, antes de pregar ao povo. Sua vida é o seu mais eloquente sermão.
- É exemplo vida, piedade para o seu próprio rebanho, nada considera a vida preciosa para si mesmo para velar pelo rebanho. Ele dá a sua vida pelo rebanho.
- Pastoreia TODO o rebanho: as ovelhas dóceis e as indóceis.
- Compreende que a igreja é de Deus e não dele. Deus nunca nos passou procuração para sermos donos do rebanho. A igreja é de Deus.
- Compreende que a igreja custou muito caro para Deus, o sangue do seu Filho. A igreja é a Noiva do Filho de Deus. A igreja é a Menina dos Olhos de Deus. Ele tem zelo pela igreja.


3.2. Um compromisso com a vinda do Senhor
Existem mais de 300 referências proféticas só no Novo Testamento sobre a SEGUNDA VINDA. É a Palavra inerrante, infalível do Deus que não pode mentir que certifica a realidade da segunda vinda de Cristo.
a) Jo 14.3 = E QUANDO EU FOR…VOLTAREI E VOS RECEBEREI…
b) Ap 3.11 = VENHO SEM DEMORA
c) Mt 24.30 = ENTÃO APARECERÁ NO CÉU O SINAL DO FILHO DO HOMEM
d) II Pe 3.10 = VIRÁ, ENTRETANTO, COMO LADRÃO, O DIA DO SENHOR.
Os sinais proféticos apontam a preparação do cenário:
a) Dn 12.4 = O SABER SE MULTIPLICARÁ = Século da propulsão à jato, da cibernética, do computador, da internet, da engenharia genética, da tecnociência.
b) Mt 24.4,5 = O ENGANO RELIGIOSO = Ocultismo, orientalismo, missianismo, espiritismo, Nova Era, pentecostalismo em cruz, ciência se une ao místico.
c) Mt 24.6-7 = CONVULSÕES NATURAIS, SOCIAIS E POLÍTICAS = Guerras, fomes, epidemias, terremotos.
d) Mt 24.12 = MULTIPLICAÇÃO DA INIQUIDADE = Sociedade hedonista, sem absolutos, pã-sexualismo, imoralidade, despudor, pornografia, maldade, violência.
e) II Ts 2.3 = A APOSTASIA = a deserção da fé, o descomprometimento, o racionalismo, secularismo, liberalismo, ecumenismo.
f) II Ts 2.3 = O ANTICRISTO = A unificação política e religiosa do mundo, Nova Era, Consciência cósmica.
POR QUE CRISTO VOLTARÁ?
Na sua primeira vinda Cristo se esvaziou. Nasceu humilde. Num lar humilde. Num berço de palha. Cresceu pobre. Veio como servo. Veio como cordeiro. Veio como ovelha muda. Veio para morrer na cruz. Veio para se fazer pecado por nós.
Na sua primeira vinda entrou em Jerusalém montado num jumentinho. Foi humilhado. Cuspido. Surrado. Preso. Traído. Xingado. Pregado na cruz.

Na sua segunda vinda virá como rei exaltado. Como Senhor dos senhores. Como juiz de toda a terra. Virá como leão de Judá. Assentará no trono. Julgará as nações. Todo joelho se dobrará diante Dele.

3.3. A recompensa dos enviados

A maior recompensa do justo é o próprio Deus. Ele é a maior herança do salvo. Deus será para os justos naquele glorioso dia o sol da justiça. O sol traz calor, traz luz, traz vida. Não vida sem o sol. Deus é o nosso sol e escudo (Sl 84:11). Deus é a nossa luz perpétua (Is 60:19).





Fontes
https://ephesusbreeze.com/pt/efeso/entorno/kusadasi-porto
https://image.slidesharecdn.com/feso-acidade-150611140057-lva1-app6892/95/feso-a-cidade-5-638.jpg?cb=1435949719
http://www.materiasdeteologia.com/2012/07/pastores-segundo-o-coracao-de-deus.html
http://hernandesdiaslopes.com.br/portal/a-segunda-vinda-de-cristo/

Nenhum comentário:

Postar um comentário